A formação intercultural em narrativas de professores/as indígenas: Um estudo na aldeia Muã Mimatxi

Dias
Horas
Minutos
Segundos

A partir de R$24,00

Partindo de narrativas de professores/as indígenas da etnia Pataxó, da aldeia Muã Mimatxi, em Minas Gerais, o livro analisa repercussões da formação intercultural que receberam como participantes na primeira turma do FIEI – UFMG, nos revelando uma rica e própria perspectiva de pensar a educação, a escola e a interculturalidade.

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2020
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 186
  • ISBN: 978-65-87836-33-1
  • eISBN: 978-65-87836-32-4
  • DOI: 10.31012/978-65-87836-32-4

Informação adicional

Peso 305 g
Dimensões 160 × 230 × 9 mm
Tipo do Livro:

E-book, Livro Físico

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

Em um mundo cada vez mais diverso e plural, as narrativas de professores/as indígenas da etnia Pataxó, trazidas nesse livro, nos revelam modos próprios de pensar a educação, a escola e a formação que muito podem nos ensinar. Participantes da primeira turma do FIEI – Formação Intercultural de Educadores Indígenas, curso oferecido pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), esses professores/as da aldeia Muã Mimatxi, localizada em Itapecerica, no Centro-Oeste mineiro, nos dão lições importantes de como viver e conviver com a diferença, vista como uma riqueza a ser apropriada e ressignificada, a depender da relação com os princípios que regem a sua cultura. O curso de formação em nível superior trouxe muitas aprendizagens para esses/as professores/as e muitos frutos para a vida coletiva, e o mais importante, ajudou a dinamizar a vida da escola, lugar central da vida comunitária. Algumas ferramentas disponibilizadas no FIEI fizeram mais sentido para esse grupo de professores/as, entre elas, destacamos as pesquisas desenvolvidos ao longo do Percursos Acadêmicos, o instrumento do calendário socioecológico e a ideia de interculturalidade. Os modos como esses elementos foram apropriados e recontextualizados nos ajudam a compreender suas concepções próprias de mundo e a centralidade da escola em seus projetos de vida e de futuro.