A formação para docência em administração no Brasil: Os saberes docentes em uma Universidade de Fronteira

Dias
Horas
Minutos
Segundos

R$58,00
R$46,40

Investiga como ocorre a formação docente em Administração no Brasil e os efeitos nos saberes docentes mobilizados pelos professores em contexto de fronteira. Os resultados apontam para um modelo que considere os saberes plurais e que repense a importância da formação docente nos Programas de Mestrado Acadêmico em Administração no Brasil.

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2021
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 182
  • ISBN: 978-65-5861-167-7
  • eISBN: 978-65-5861-168-4
  • DOI: 10.31012/978-65-5861-168-4

Informação adicional

Peso 397 g
Dimensões 160 × 230 × 10 mm
Tipo do Livro:

Livro Físico

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

É com muito prazer que apresento o livro de Rosely Cândida Sobral, “A formação para a docência em Administração no Brasil: os saberes docentes em uma universidade de fronteira”.

O livro, fruto de sua tese de doutorado, aborda uma preocupação que há muito tempo convive com a autora: a formação docente, especificamente a do curso de Administração.

Essa formação se dá basicamente nos cursos de mestrado dos diversos programas de pós-graduação em Administração. Uma das grandes críticas que sempre se fez a esses cursos – de maneira empírica, e agora de forma científica, por meio do trabalho de Rosely – é que eles sempre se preocuparam muito mais com a formação do pesquisador, em detrimento da formação do professor, necessária também para a atuação nas universidades.

O livro traz, como resultados, o quanto os programas de pós-graduação falham em não privilegiar, em suas grades curriculares, discussões que abordem questões da prática pedagógica. Quando analisa projetos políticos-pedagógicos de universidades de fronteira, a autora verifica também quão pouca atenção é dada, nesses projetos, para questões do saber local e das especificidades do lugar.

Estamos numa encruzilhada? Que saberes os docentes dos diversos cursos de Administração devem privilegiar? E especificamente, das universidades de fronteira? Por que sua formação não contempla esses saberes? Como eles vão alcança-los?

São perguntas importantes, que o livro nos traz como reflexão, e que Rosely, de forma tão competente, consegue provocar.

Boa leitura a todos!

Maringá, 10 de abril de 2020.

Elisa Yoshie Ichikawa

Universidade Estadual de Maringá