A França na Música Popular Brasileira do século XX: Visões e impressões de sambistas e chansonniers

Dias
Horas
Minutos
Segundos

A partir de R$20,00

Por incrível que pareça, muito de nossos mais conhecidos e criativos compositores escreveram em francês! Caso de Assis Valente, Moreira da Silva, Marília Batista, Haroldo Barbosa, Vinícius de Moraes, Chico Buarque e tantos outros. O resultado está agora neste trabalho que traz catalogado pela autora uma gama de canções que vão de 1909 a 2009 e apresenta a análise de sambas em francês (e outros ritmos) da fase áurea da Rádio Nacional.

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2021
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 330
  • ISBN: 978-65-5861-260-5
  • eISBN: 978-65-5861-262-9
  • DOI: 10.31012/978-65-5861-262-9

Informação adicional

Peso 521 g
Dimensões 160 × 230 × 16 mm
Tipo do Livro:

E-book, Livro Físico

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

Durante os anos 1930, quando as transmissões radiofônicas evoluem significativamente e as gravações em 78 rpm pipocam de todos os lados, principalmente na cidade do Rio de Janeiro, o samba se consolida como ritmo nacional. Época nacionalista por excelência, alavancada pelo governo de Getúlio Vargas, a chamada fase de Ouro da música brasileira acaba privilegiando o debate acalorado entre o nacional e o estrangeiro; a busca de um sentimento de brasilidade não é menos recorrente no período e, a Rádio Nacional, um fio condutor que leva para todo o Brasil sambas, marchinhas e outros ritmos vindos do morro e do asfalto. Em abordagem inédita (foi o primeiro trabalho acadêmico sobre o assunto), a autora Nancy Alves mergulha fundo nessa discussão, indo buscar primeiramente no maxixe – e depois no samba, nas marchinhas e em outros ritmos –, os primórdios desta relação intercultural que se intensificou com os Oito Batutas, o grupo de Pixinguinha, dando lugar, anos mais tarde, a outras interfaces musicais extremamente importantes entre os dois países.