A prisão preventiva para a garantia da ordem pública como dispositivo de controle necropolítico

Dias
Horas
Minutos
Segundos

R$74,00
R$59,20

Em um país onde o mito da democracia racial ainda encontra espaço para disseminação, a obra da Profa. Cristina Leite Lopes Cardoso se faz extremamente necessária por revelar as múltiplas faces do racismo estrutural engendrado no sistema penal brasileiro. Ao construir sua pesquisa, a partir de um aporte teórico antirracista e decolonial que evidencia a produção de intelectuais negros, a autora oferece outra lente de análise sobre o Direito Penal, mostrando como o estado de exceção é exercido cotidianamente sobre as vidas negras, o que configura a prática de uma necropolítica contínua que atinge de maneira contundente o povo negro no Brasil.

Carolina Câmara Pires

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2021
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 296
  • ISBN: 978-65-5861-359-6
  • eISBN: 978-65-5861-361-9
  • DOI: 10.31012/978-65-5861-361-9

Informação adicional

Peso 527 g
Dimensões 230 × 160 × 17 mm
Tipo do Livro:

Livro Físico

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

Este livro, fruto da pesquisa desenvolvida por sua autora em sede de doutoramento junto ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Direito da Universidade Federal Fluminense, é um dos trabalhos mais bonitos que tive não só a grata oportunidade de ler e ter como referência acadêmica, mas, também de acompanhar seu desenvolvimento. Escrito por um ser humano fantástico, a quem tenho a imensa felicidade de ter como amiga, o livro reflete toda a sensibilidade de sua autora. Cristina Cardoso, professora de processo penal, militante de direitos humanos e pesquisadora de filosofia política, sabe, parafraseando seu avô que, do outro lado do processo penal tem gente e que gente sente! Da leitura desta obra que entendo fundamental, o leitor extrairá não só dados e questões jurídicas, mas, também, reflexões interdisciplinares atravessadas pelo zelo de quem deseja mudar a realidade então analisada e sedimenta sua contribuição com pensamento de intelectuais negros, autores decoloniais, filósofos e sociólogos de distintas procedências e grandes juristas. Também estão contidos aqui saberes trocados com seus alunos, presos entrevistados em sua pesquisa de mestrado, colegas e professores entusiastas de seu trabalho, enfim, por gente que sente como a gente e que enche de potência e beleza cada linha desta obra.