(E-Book) Apontamentos de Pesquisa: A Pandemia Covid – 19: Teologia, Ciência e Arte em Conversas

Dias
Horas
Minutos
Segundos

R$20,00 R$16,00

Por que pesquisar – e escrever – é preciso.

Em tempo, o bravo e vitorioso general político Pompeu foi traído por seus colegas políticos generais aos cinquenta e oito anos, cerca de cinquenta anos antes do nascimento de Jesus. Sua memória foi reduzida, quase que apagada em favor de Júlio César, também traído e assassinado quatro anos depois, em 44 a. C.

E podemos resumi-lo em versos da Literatura Popular do Cordel: poesia rimada e metrificada, vendida em folhetos baratos expostos em cordas nas feiras livres, com suas capas e ilustrações em xilogravura: “Escrevemos esse Livro/ Da Bahia ao Ceará./ De Guanambí ao Cabo Verde/ Vai a onde o amor está./ Com cientistas, escritores,/ De estudantes ou doutores/ Cantem lá que eu canto cá.”

Ou lembrando e reafirmando ainda: “Traz crítica e esperança/ Do racismo de hoje em dia./ Fé e religiosidade,/ Da política sem guia./ Busca saúde e cultura/ Bem viver, a alma pura:/ Vem lhe fazer companhia.”

Com as bênçãos da ciência, dos poetas e da literatura italiana ou popular do nordeste, contra o fascismo, apresentamos a Coletânea Apontamentos de Pesquisa: A Pandemia Covid – 19: Teologia, Ciência e Arte em Conversas. E lhes convidamos ao prazer da leitura. Por que navegar é preciso. E viver: também é preciso.

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2020
  • Tamanho: 5 MB
  • Páginas: 421
  • ISBN:
  • eISBN: 978-65-5861-033-5
  • DOI: 10.31012/978-65-5861-033-5

Informação adicional

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

Reunimos nessa coletânea 22 artigos de dezenas de pesquisadores e os organizamos por temas em três partes. Os temas variados são amplos e gerais o suficiente para nos dar um panorama da importância da pesquisa social em nossas universidades. Os artigos falam sobre recém-nascidos e da infância sobre seu desejado bem-estar e literatura infantil, sobre a saúde, a assistência social e diversos cuidados hospitalares. Abordam ainda temas filosóficos e a religiosidade popular e o pentecostalismo em tempos de crise, com interesse pela vida da juventude nas residências universitárias e bibliotecas, da resistência de negros e mulheres, além de senhoras na prática de educação física. Não omitindo temas sociais na crise sanitária como a fadiga de profissionais da saúde, do sofrimento e coragem de pacientes de hemodiálise, e sobre as populações de rua e relatos de vida de “profissionais do sexo”.

Com ensaios pertinentes de análise dessa crise sanitária e social, a coletânea traz artigos que tratam do neoliberalismo, reformas, trabalhista e da previdência social pública, do elitizado projeto educação para todos e da crítica necessária às diretrizes educacionais do Banco Mundial, novo ministério internacional da educação; revelando políticas elaboradas sobre a ótica anti-social do capital financeiro. Revelam e denunciam uma vez mais o fascismo, o racismo histórico e o conformismo religioso.