Approaches and conceptions of territory

Dias
Horas
Minutos
Segundos

R$17,00R$59,50

Texto publicado em português (2007) e, em virtude da amplitude do território como conceito, objeto de estudos e espaço de luta e enfrentamento social, foi publicado em italiano (2012) e espanhol (2019): agora faz-se esta publicação em inglês, para propiciar sua circulação em outros países.

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Inglês
  • Ano: 2020
  • Tamanho: 14x21 cm
  • Páginas: 268
  • ISBN: 978-65-5861-030-4
  • eISBN: 978-65-5861-029-8
  • DOI: 10.31012/978-65-5861-029-8

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

Este texto publicado originalmente em língua portuguesa (2007) está sendo preparado para a 5ª. Edição nesta língua. Ao mesmo tempo, foi publicado em língua italiana, em Milão (2012) e em língua espanhola, em bogotá (2019), tendo ampla circulação em virtude da amplitude de utilização do território.

O território tem sido objeto de estudos em diferentes áreas do conhecimento, como a geografia e a sociologia, a antropologia e a economia, no entanto, teve centralidade na geografia, assumindo histórica e geograficamente distintos significados, alguns conservadores do status quo e outros histórico-críticos. É um conceito polissêmico, de grande amplitude e utilizaçao no ensino, na pesquia e na extensão acadêmica e científica, assim, assume também um significado político e prático fundamental para compreender e transformar a realidade de vida cotidiana, considerando a necessidade de construir uma sociedade mais justa e ecológica. O território, desse modo, é um conceito fundamental, bem como objeto de estudos em diferentes áreas do conhecimento e, ao mesmo tempo, espaço de (in)formação, mobilização, resistência, luta e enfrentamento diante do estado burguês e dos agentes do capital: por de uma abordagem territorial histórico-crítica, conforme argumentamos, voltada para as pessoas mais simples e humildes, é tranquilamente viável a construção de projetos de desenvolvimento territorial de base local, ecológica e cultural, trabalhando-se para e com as pessoas, numa perspectiva dialógica, solidária, participativa e cooperada. Pesquisa e ação, diálogo e reflexão podem acontecer simultaneamente, no nível de cada território, em diferentes níveis escalares, em uma práxis popular e sustentável, entendendo-se o território como patrimônio da humanidade e lugar de vida saudável e emancipatória politicamente.