Cultura, história intelectual e patrimônio na África Ocidental (séculos XV-XX)

A partir de R$34,00

Este volume apresenta um conjunto de estudos sobre produções culturais e intelectuais e sobre o patrimônio cultural de diversas sociedades da África Ocidental, em diferentes tempos. Em seu conjunto, as análises aqui apresentadas evidenciam a riqueza e a complexidade da produção cultural e intelectual africana.

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2019
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 370
  • ISBN: 978-65-5016-041-8
  • eISBN: 978-65-5016-042-5
  • DOI: 10.31012/978-65-5016-042-5

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

A macrorregião da África Ocidental (situada entre o Mediterrâneo ao norte, o Atlântico a oeste e sul e o lago Chade a leste) caracteriza-se por uma longa história de intercâmbios culturais, por uma rica e milenar tradição oral e letrada e por uma variedade de culturas e sociedades articuladas por relações comerciais, intelectuais e religiosas de longa duração, que precederam em muito os contatos com os europeus. Nela se desenvolveram vastos e ricos impérios comerciais, como os reinos de Gana ou do Mali, transcorreram múltiplas interações entre tradições religiosas distintas, como as apropriações criativas do islamismo por diversas culturas africanas, e emergiram diferentes formas de reação e resistência à dominação colonial e neocolonial europeia, resultando em uma profusão de novas práticas, produtos culturais e tradições de pensamento intelectual. Este volume apresenta um conjunto de estudos sobre manifestações culturais e intelectuais produzidas em diferentes tempos e espaços da África Ocidental, os quais testemunham a riqueza e o dinamismo da produção cultural da região. As análises aqui reunidas exigem que as temáticas da história intelectual e do patrimônio cultural (material ou imaterial) sejam visto em relação recíproca e inscritos num conjunto mais amplo de práticas sociais, manifestações culturais e concepções políticas, superando dicotomias arraigadas, como aquelas que opõem a produção intelectual às tradições orais ou à cultura material. Em seu conjunto, estes estudos evidenciam as fronteiras fluidas e os diversos intercâmbios entre o pensamento intelectual, a produção artística, a memória e a produção material de sociedades da África Ocidental em um longo recorte temporal.