Ensinar a Condição Humana na Educação Infantil

A partir de R$17,00

Para que o processo ocorra, mudanças no decorrer do desenvolvimento ensino-aprendizagem devem ser iniciadas desde a Educação Infantil, e assim já na primeira etapa da Educação Básica seja possível formar indivíduos críticos e reflexivos, capazes de entender a globalidade, principalmente a si próprio e depois o outro. Assim busca-se compreender como o ensino da condição humana pode contribuir para a formação do cidadão.

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2019
  • Tamanho: 14x21 cm
  • Páginas: 76
  • ISBN: 978-65-5016-345-7
  • eISBN: 978-65-5016-346-4
  • DOI: 10.31012/978-65-5016-346-4

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

A condição humana deveria ser objeto essencial em todo ensino, visto que essa busca é a compreensão do ser humano sobre si e sobre o outro, levando em consideração toda a sua complexidade como tal. Com o ensino fragmentado, e distribuído atualmente em disciplinas, faz com que se torne cada vez mais difícil aprender o que significa o ser humano. Sob esse enfoque, esta obra busca abordar e entender as concepções que os professores e educadores de um Centro Municipal de Educação Infantil de Curitiba/PR (CMEI) possuem sobre os aspectos que envolvem o terceiro saber de Morin: Ensinar a condição humana. Portanto, neste trabalho, buscou-se estabelecer as relações entre o terceiro saber proposto por Morin e as Diretrizes curriculares Nacionais para Educação Infantil de 2009 (DCNEI, 2009) e também identificar aspectos presentes no discurso dos professores e educadores que apontem esse saber na sua atuação. Os instrumentos utilizados para a coleta de dados foi a entrevista semiestruturada e a análise que ocorreu com base na pesquisa bibliográfica. No entanto, ao finalizar a escrita deste trabalho, constatou-se que ainda são necessárias mudanças no que diz respeito à formação dos profissionais da Educação Infantil para que a primeira etapa da Educação Básica desenvolva uma prática pedagógica centrada na condição humana, tratando o indivíduo como um ser multidimensional, fim de que este compreenda que mesmo com suas especificidades, faz parte de um todo, e, assim, possa romper a fragmentação do indivíduo.