O coração do idoso e o sentido da vida na pós-modernidade: uma análise pela ótica de Viktor Emil Frankl

Dias
Horas
Minutos
Segundos

R$39,00R$78,00
R$31,20R$62,40

Esta obra traz um estudo de como os processos psicossociais do mundo pós-moderno vinculados à teoria frankliana, ou seja, a Logoterapia, podem contribuir para a dificuldade de ingresso de indivíduos idosos submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio, na Fase 3 de um programa de Reabilitação Cardíaca.

Limpar
ISBN a7720026f39f Categoria Tags , ,

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2020
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 244
  • ISBN: 978-65-5016-395-2
  • eISBN: 978-65-5016-406-5
  • DOI: 10.31012/978-65-5016-395-2

Informação adicional

Peso 392 g
Dimensões 160 × 230 × 13 mm
Tipo do Livro:

E-book, Livro Físico

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

Este estudo procurou elucidar como os processos psicossociais do mundo pós-moderno, vinculados à teoria frankliana, podem contribuir para a dificuldade de ingresso de indivíduos idosos na Fase 3 de um programa de Reabilitação Cardíaca (RC). O objetivo é compreender os sentidos subjetivos que são despertados em pacientes idosos após uma cirurgia de revascularização do miocárdio (CRVM) na Fase 2 da RC. Foi realizada uma pesquisa teórica de cunho temático e histórico e uma pesquisa de campo. O estudo teórico temático foi destinado às questões do vazio existencial e do sentido da vida na contemporaneidade, ambas fundamentadas na teoria de referência, ou seja, a Logoterapia de Viktor Emil Frankl. Também foram abordados temas como a Doença Arterial Coronariana, a CRVM, a RC e o Envelhecimento. Paralelamente a este estudo, foi feito um levantamento histórico contextual sobre a pós-modernidade, a cirurgia cardíaca e a Fisioterapia. Para o trabalho de campo, foi utilizada a pesquisa clínico-qualitativa, cuja metodologia adotada foi o estudo de caso. O estudo de caso empregou como coleta de dados duas entrevistas semiestruturadas aplicadas a um indivíduo do sexo masculino, de 64 anos de idade e que fora submetido à CRVM. Em seguida, apontou, através das categorias “trabalho”, “sofrimento”, o outro, “religião” e o “corpo”, quais os principais sentidos subjetivos produzidos pelo sujeito da pesquisa, nos pós-operatórios inicial e tardio de CRVM. Os resultados mostram que o sujeito do estudo configurou sentidos subjetivos de revolta e tentativa de manutenção da dignidade frente ao sofrimento produzido pela cirurgia, e que tal configuração não foi capaz de suprir o vazio existencial presente em sua vida.