Os caminhos da aquisição do conhecimento e a cegueira: do universo do corpo ao universo simbólico

R$72,00

O livro trata da constituição do psiquismo humano, em sua dimensão cognitiva, na cegueira congênita. Discute suas particularidades para além da diferença sensorial, apesar de marcada por ela. Evidencia o percurso próprio do cego no conhecimento do mundo, passando, da experiência concreta à representação mental, mediada pela linguagem e pela afetividade.

.

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2020
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 272
  • ISBN: 978-65-86854-55-8
  • eISBN: 978-65-86854-51-0
  • DOI: 10.31012/978-65-86854-51-0

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

Fruto de uma pesquisa de mestrado, o presente livro oferece fecundas explicações acerca dos modos pelos quais os cegos constroem conhecimento. Por meio de entrevistas feitas com cegos congênitos e de um cuidadoso mergulho teórico-reflexivo, Eliana Ormelezi formula e dá respostas a um conjunto de perguntas cruciais relacionadas à estruturação cognitiva na cegueira: “Como o cego congênito forma as representações mentais e os conceitos sobre objetos, situações e eventos? Como adquire conhecimento sobre o mundo de coisas pouco ou nada acessíveis aos seus canais perceptivos? Que elementos contribuem para a formação de sua imagem corporal e o que daria ao cego a consciência de si?”

Aliando rigor analítico e profundo conhecimento do universo da cegueira, decorrentes de décadas de experiência na educação de pessoas cegas ou com baixa visão, a autora coloca em diálogo as explicações formuladas pelos próprios sujeitos pesquisados e as contribuições de autores clássicos da chamada psicologia genética, para explicar como a função simbólica é instaurada na ausência da visão.

Compreender os caminhos percorridos para que as pessoas que não enxergam conquistem aquilo que é tão tipicamente humano – a capacidade de o sujeito afastar-se da realidade imediata e simbolizá-la -, pode trazer contribuições não somente para aqueles que estudam o campo da deficiência visual, mas também para leitores preocupados ou envolvidos com a prática da educação inclusiva.

Por todas essas qualidades, a publicação dos resultados da pesquisa realizada deve ser comemorada. Tenho certeza que este livro terá uma grande acolhida entre leitores diversos e se tonará, em breve, uma referência.

Profa. Dra.Teresa Cristina Rego
(Professora da Faculdade de Educação da USP)