Os Sons e o Sagrado: Fenomenologia do Canto dos Devotos de Krishna

Dias
Horas
Minutos
Segundos

R$54,00 R$45,90

Este livro é o resultado de uma pesquisa de mestrado realizada no Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFMG (2011-2012) e seu objetivo foi compreender fenomenologicamente como uma expressão musical chega a se autoconstituir enquanto experiência religiosa do sagrado.

 

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2020
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 160
  • ISBN: 978-65-86854-90-9
  • eISBN: 978-65-86854-91-6
  • DOI: 10.31012/978-65-86854-91-6

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

O caminho principal deste livro foi compreender como uma determinada expressão musical chega a se autoconstituir como experiência religiosa do sagrado. O leitor encontrará um exercício rigoroso de descrição e análise fenomenológica no estilo husserliano, marcado pelo trabalho de elucidação do caráter específico das vivências. Através da análise compreensiva de relatos particulares colhidos em entrevistas, será possível observar a marca inconfundível do método fenomenológico em psicologia: partir de descrições individuais em direção ao caráter específico do vivido. O leitor tirará proveito de um estudo que se movimenta no âmbito da fenomenologia da cultura e que investiga os níveis de vivências que o relacionamento com um fenômeno cultural sonoro torna possível. Considerando o papel que a repetição desempenha no uso dos sons realizado pelos devotos, o trabalho fenomenológico se deteve na reiteração sonora como base material sob a qual o canto abre um espaço de experiências, e avançou para uma compreensão que devolve a vivência do sagrado para seu vínculo originário com situações sensoriais. Por fim, na contramão da tendência de autores da psicologia que explicam teoricamente a experiência religiosa através de relações causais de teor subjetivo, o leitor encontrará neste livro a impossibilidade de reduzir essa experiência a quaisquer conteúdos psicológicos ou socioculturais. Foi justamente essa impossibilidade o que permitiu mostrar a consistência fenomenológica da expressão musical do canto e o quanto a vivência dessa prática se orienta por um sagrado que na sua própria constituição está marcado pelo caráter daquilo que não se produz.