Paternidade brasileira: uma reflexão interdisciplinar 2ª Edição

A partir de R$21,00

O presente livro é uma reflexão pastoral sobre pesquisas desenvolvidas no contexto brasileiro. O autor aborda, e coloca em debate, autores ligados à teologia, à psicanálise e à sociologia. Seu propósito é discutir um problema caro à teologia e a sociedade brasileira: “A Paternidade”.

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2019
  • Tamanho: 14x21 cm
  • Páginas: 136
  • ISBN: 978-65-5016-099-9
  • eISBN: 978-65-5016-100-2
  • DOI: 10.31012/978-65-5016-100-2

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

A presente obra pretende refletir o conceito de paternidade no contexto brasileiro. Assim, os documentos visitados e analisados são organizados de forma a buscar possíveis caminhos àqueles que pretendem cumprir esta função. Este livro pode ajudar no desenvolvimento de uma pastoral familiar consciente e libertadora. Apesar desta discussão ter um direcionamento teológico, este trabalho tem um procedimento interdisciplinar.

A estrutura do livro é bem didática. Em primeiro lugar, trata de entender a questão da paternidade numa perspectiva psicanalítica sob o título: Paternidade: fundamentação psicanalítica. Ele aborda o contexto sócio-psíquico no qual a questão do pai é colocada e procura respostas para as perguntas: como a psicanálise trata a questão do pai? Como entender a função paterna e seus desdobramentos na formação da cultura, do sujeito e da religião?

Em segundo lugar, sob o título Paternidade: fundamentação teológica, ele trata a questão numa perspectiva bíblico-teológica e, de maneira específica, resgata a figura de José, o pai de Jesus, como imagem bíblica do pai e seu papel na função paterna.

Em terceiro lugar, sob o título Paternidade: reflexão pastoral no contexto brasileiro, Matheus propõe uma reflexão pastoral a partir do contexto brasileiro. Considera a crise do pai e as transformações nos modelos de família, como também, aborda questões pastorais sobre o lugar do pai na autoridade familiar.

Assim, propõe que a ação pastoral seja contextualizada e siga duas linhas principais: a acolhida do pai e a responsabilidade paterna. No que diz respeito ao acolhimento do pai a proposta é de conscientizá-lo acerca da paternidade, a fim de vencer as crises e os receios que esta função pode provocar.