Planejamento sucessório, governança corporativa e inovação, uma investigação em empresas familiares

Dias
Horas
Minutos
Segundos

R$76,00 R$64,60

Esta obra discorre sobre a pesquisa realizada em empresas familiares com 30 anos ou mais, sediadas na cidade de Curitiba/PR, referente a planejamento sucessório, governança corporativa e inovação. Estes três temas são considerados importantes para a longevidade de suas empresas? Eles estão alinhados com a família, propriedade e gestão?

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2020
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 220
  • ISBN: 978-65-5861-090-8
  • eISBN: 978-65-5861-097-7
  • DOI: 10.31012/978-65-5861-097-7

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

Este estudo teve como objetivo investigar o planejamento sucessório, a governança corporativa e a inovação em empresas familiares com idade de 30 anos ou mais. Uma inquietude da autora encontrava-se nas razões que levam as empresas familiares alcançarem estatísticas tão acentuadas de mortalidade quando atravessam os períodos de sucessão familiar. A partir das literaturas especializadas referente ao tema, muitos fatores são enumerados e nos levam ao modelo dos três círculos de Gersick (1993), que descreve o sistema da empresa familiar como três subsistemas independentes, mas sobrepostos – gestão, propriedade e família – e quando afirma que a sucessão não é uma situação, mas várias, sendo possível ir além, retomando as variáveis de tempo, processo e preparação. Assim, o resultado da pesquisa realizada espelha que quanto maior longevidade um empreendimento familiar possui, mais presente estão as boas práticas de governança corporativa, mitigando conflitos inerentes aos processos sucessórios, quando se fala em propriedade e gestão. 78,6% das empresas familiares, ou seja, 44 organizações pesquisadas entendem a importância do planejamento do processo de sucessão e o efetivo processo de sucessão. A governança corporativa incorpora-se na pesquisa pela capacidade de implementar mecanismos para orientar e conduzir o processo de sucessão, contribuindo para o equilíbrio e a perpetuação dos negócios da família. Rossetti e Andrade (2014) afirmam que uma das mais importantes dimensões da governança corporativa são os valores que lhe dão sustentação, amarrando concepções, práticas e processos de alta gestão. Da pesquisa, 46 empresas familiares encontram-se em estágio semidesenvolvido e desenvolvido de governança corporativa. Por fim, entendendo que para a longevidade das empresas é requerido inovação, foi adicionado o estudo da ambidestralidade apresentada por March (1991) e, a partir dessa investigação, verifica-se que em 83,9% são empresas ambidestras, ou seja, com ações de inovação incremental ou radical.