Poéticas do deslocamento: O Bildungsroman de autoria feminina contemporânea

Dias
Horas
Minutos
Segundos

A partir de R$20,00

Este livro, que tem como corpus de análise os romances Pérolas Absolutas (2003), de Heloísa Seixas, Algum Lugar (2009), de Paloma Vidal, e Azul-corvo (2010), de Adriana Lisboa, tem como objetivo refletir acerca do modo como o Bildugsroman – romance de formação – de autoria feminina do século XXI, constrói trajetórias de personagens femininas nas quais se observa um processo de subjetificação, no qual as experiências formadoras ocorrem por meio dos deslocamentos espaciais e identitários, característicos da época contemporânea.

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2021
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 252
  • ISBN: 978-65-5861-333-6
  • eISBN: 978-65-5861-338-1
  • DOI: 10.31012/978-65-5861-338-1

Informação adicional

Peso 343 g
Dimensões 160 × 230 × 14 mm
Tipo do Livro:

E-book, Livro Físico

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

Wilma Coqueiro foi muito feliz, em sua Tese de Doutorado, ao escolher o tema da Poética dos Deslocamentos no Bildungsroman feminino contemporâneo, porque esse é um fenômeno social presente na pós-modernidade, provocador de sérias crises de identidade. Neste livro, publicação da sua Tese, ela trabalha com três romances escritos na primeira década do século XXI, superando a dificuldade de analisar textos recentes sem fortuna crítica e de uma época de utopias desfeitas com o fim das verdades universais. Azul-corvo, de Adriana Lisboa, Algum lugar, de Paloma Vidal e Pérolas Absolutas, de Heloísa Seixas, corpus da sua pesquisa, são Bildungsromane femininos, onde as protagonistas passam por deslocamentos espaciais e identitários, gerando descentramentos, desarmonias e angústias existenciais.

Porém, a autora não se limita à questão do deslocamento, mostra também como esse tema se insere num contexto maior, analisando subtemas importantes como feminismo, onde cita Touraine  “ mulher para ela-mesma”, nomadismo e errância, fluidez das relações (Bauman), “a casa não está em parte alguma”(Bourdieu) e outros mais, sempre enfatizando, com relação às protagonistas dos romances, identidades femininas dilaceradas, num cenário pós-moderno, onde predominam a angústia existencial e a solidão.

Elódia Xavier