Políticas de alimentação escolar das décadas 1960-1970

A partir de R$27,00

Iniciamos com o contexto das políticas educacionais e das tendências pedagógicas. Apresentamos as políticas de alimentação e nutrição no contexto nacional, a relação entre ambas políticas. Ao final as merendeiras apresentam suas experiências, os aspectos negativos (suas dores, cansaços) e seus aspectos positivos, a alegria, o brilho no olhar de saber que o que fazem é apreciado. Suas memórias trazem elementos daquela realidade próxima, dados históricos de seu entorno. A história é feita de fatos, políticas, grandes ações, mas também de minúsculas manifestações nem sempre valoradas pela ciência.

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2019
  • Tamanho: 14x21 cm
  • Páginas: 174
  • ISBN: 978-65-5016-029-6
  • eISBN: 978-65-5016-030-2
  • DOI: 10.31012/politicasdealimentacaoescolar

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

A temática que trata esse livro é a merenda escolar. Diante das mudanças ocorridas nas políticas da merenda escolar, nas décadas de 60 e 70 do século XX, nos propusemos a estudar como ocorreu a troca de saberes entre o “saber moderno” e o “saber tradicional”, no município de Criciúma – SC. Para cercarmos nosso tema, a merenda escolar em período de modernização e os saberes envolvidos na mudança de padrão da merenda neste contexto, discutimos as políticas educacionais e tendências pedagógicas do período (capítulo 1) e as políticas de alimentação e nutrição (capítulo 2).

Esse percurso se fez necessário para que pudéssemos apresentar um contexto capaz de dialogar e entender a origem das Políticas Públicas da Educação e de Alimentação e Nutrição, que serviram, pelo menos no período estudado, para efetivar o pensamento dominante e reforçar os saberes legitimados via acordos com agências internacionais. E é nesta “nascente” que buscamos “vozes” até então não localizadas, ainda não ouvidas. Buscar em suas lembranças o que foi vivido por elas, suas contradições, seus saberes e afazeres. Estas vozes são ouvidas no capítulo 3 (As vozes das merendeiras).

A história é feita de fatos, políticas, grandes ações, mas também de minúsculas manifestações nem sempre valoradas pela ciência. Aqui elas têm o seu valor. Entendemos que somente com esta aproximação o processo modernizador da sociedade se faria mais evidente, no que tange à problemática da merenda escolar.