Pompa e circunstância

R$62,00

Este livro pretende desvelar o episódio da apresentação da peça Um sarau no paço de São Cristóvão no Teatro Municipal em São Paulo. Era a elite paulistana republicana fazendo um elogio a imperatriz Leopoldina, apenas trinta anos após a queda do Império. O que se pretendia com esse ato?

Limpar

  • Editora: Brazil Publishing
  • Idioma: Português
  • Ano: 2020
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 166
  • ISBN: 978-65-5861-094-6
  • eISBN: 978-65-5861-084-7
  • DOI: 10.31012/978-65-5861-084-7

Autor(es):

Organizador(es):

Descrição

A presente obra tenta desvelar um obscuro acontecimento ocorrido em 1926 na cidade de São Paulo. Obscuro pois sumiu dos anais da História, mas muito comentado pelos jornais e revistas paulistas da época. Seriam duas apresentações no Teatro Municipal que acabaram, pelo sucesso de publico tendo mais duas seções com preços populares. O espetáculo teatral tinha como sentido juntar fundos para a construção de uma escola para moças, da Liga das Senhoras Católicas.

Para o texto chamaram o poeta e escritor Paulo Setúbal, que nunca publicou essa obra e nem consta em suas obras publicadas por décadas em uma editora paulista.

O elenco foi todo formado por “atores” amadores, membros da elite paulistana, carregando muitos nomes “quatrocentões” da cidade e alguns novos paulistas, com seus sobrenomes imigrantes. A peça trata de uma festa no Paço de São Cristóvão, onde os convidados conversam com a aniversariante, a imperatriz e juntos remontam os fatos que levaram a independência enquanto aguardam a chegada de D. Pedro I.

O que se pretende com esse elogio? Exaltar a imperatriz? Exaltar o papel de D. Pedro I? E por extensão, exaltar o Império? O que pretendia essa elite republicana?